Técnico de Kovalev põe enigma em revés para Ward

By | 20/06/2017

Jackson (e) não revela razões de revés de Kovalev (d) (Reprodução)

As discussões sobre se o americano Andre Ward merecia ser desclassificado pelo disparo de golpes baixos  ou se o árbitro Tony Weeks encerrou prematuramente o combate no oitavo round parecem não incomodar tanto John David Jackson, técnico do russo Sergey Kovalev, 34. Para o orientador há muitas outras razões que levaram à derrota do pupilo no último sábado no Mandalay Bay Resort & Casino de Las Vegas, estado de Nevada (EUA), válido pelos cintos unificados AMB, OMB e FIB dos meio-pesados (79,3k).

Em tom enigmático, Jackson disse que ainda não é momento de revelar alguns aspectos que contribuíram para o revés de Kovalev. O treinador não diminui a vitória de Ward enfatizando que o americano foi um mestre em encontrar formas diferentes para essa revanche – eles haviam lutado em novembro passado e o ianque ganhou em resultado discutível, apertado e igual nas três papeletas (114-113).

Sem desculpas

Jackson admite que houve socos abaixo da linha de cintura, discorda da interrupção efetuada pelo árbitro, mas acredita que não faz mais nenhum sentido discutir esses pontos. “Após receber duro golpe, Sergey (Kovalev) não respondeu aos ataques de Ward. E o que o árbitro deveria fazer naquela situação?”, questiona o técnico, isentando de culpa o rival e o terceiro homem no ringue.

Com ar de quem está escondendo algo, John David Jackson relata que não houve nenhuma lesão, discussão no campo de treinamento ou dispersão de Kovalev pela alta bolsa ganha no combate. “Um dia direi o que ocorreu de errado. Foi um monte de coisas, mas não quero falar sobre isso agora”, afasta-se o treinador que, ao que tudo indica, dificilmente voltará a trabalhar com o russo nos próximos confrontos.

Algumas semanas antes da revanche, surgiram vários rumores. Um deles mencionava que John Jackson havia recebido oferta financeira para trocar de lado, deixando Sergey Kovalev para trabalhar com Andre Ward. Outra questão foi a de havia pessoas infiltradas no campo de treinos do russo espionando sua preparação e repassando as informações ao time do americano. Por fim, correu a versão de que Kovalev não conseguiu abandonar o apreço exagerado pelo consumo de vodka atrapalhando sua performance. Em nenhum momento alguém desmentiu essa história.

Luvas Cruzadas

Shumenov perde cinto – Sem atuar desde maio do ano passado e sem perspectiva de liberação médica para voltar a competir devido a lesão no olho, o cazaque Beibut Shumenov (17-2-0, 11 KOs), 33, comunicou sua aposentadoria do esporte e acabou sendo destituído do título AMB cruzador (90,7k). Essa decisão eleva o cubano Yunier Dórticos (21-0-0, 20 KOs), 31, de campeão interino a dono do cetro regular da entidade.

Khan contra Matthysse? – Ao aproveitar o encontro com Oscar de La Hoya nesta segunda-feira, durante coletiva de imprensa em Londres (Inglaterra) de Saul”Canelo” Alvarez e Gennady Golovkin, o britânico Amir Khan (31-4-0, 19 KOs), 30, pediu a promotor para efetuar um grande combate nos próximos meses. De pronto, o presidente da Golden Boy sugeriu o nome do forte pegador argentino Lucas Matthysse (38-4-0, 35 KOs), 34, dentro da divisão meio-médio (66,6k). As conversas prometem avançar.

Relembre:

Com poder, Ward suplanta Kovalev e retém cintos

One thought on “Técnico de Kovalev põe enigma em revés para Ward

  1. PAULO ROBERTO GODINHO

    A reclamação de que Tony Weeks deixou de considerar como “fouls” os golpes que Andre Ward colocou na linha baixa de Sergey Kovalev, para quem assistiu ao combate, positivamente, não procede. Já no 2º tempo, ocorreu a primeira reclamação do russo; Weeks pareou a luta, deu uma encarada em Kovalev, e logo ordenou o reinício da luta. Nas 7ª etapa, novamente houve a acusação de Kovalev, que, desta vez, de imediato, Tony Weeks não considerou, ordenando “combate” absolutamente seguro de que o golpe não havia entrado abaixo da linha da cintura do ex-campeão. O que se viu no 8º, foi uma esquerdai mortal de Ward na mandíbula de Kovalev, que facilitou o final do trabalho, levando-o para o canto azul, e ali, seguidamente com a mesma mão, castigou impiedosamente a cintura do russo, que ruiu ajoelhado na lona. Era tal o seu estado físico, que o árbitro não se deu ao luxo de abrir contagem, encerrando o combate.
    Nunca questionei o queixo ou a pegada demolidora de Sergey Kovalev, mas essa cintura, essa, está reprovada, e isso, só poderemos atestar com certeza em seus futuros compromissos, porque nesse de sábado passado, a reclamação de “fouls”, não procederam.

    PAULO GODINHO

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *