Ex-MMA, Algieri lembra dura transição para boxe

By | 25/08/2017

Ele atuou em alto nível e obteve mundial no boxe, entretanto, antes de partir para competir dentro das 16 cordas, o americano Chris Algieri, 33, praticou artes marciais na infância até se decidir pelo kickboxing. Foi campeão mundial de caratê e de kick. É essa experiência que transforma o lutador em referência para apontar necessidade de tempo para se fazer a transição de um esporte para outro como está ocorrendo agora com o astro do UFC Conor McGregor que faz sua estreia nos tablados contra o multicampeão Floyd Mayweather. O embate está marcado para amanhã no T-Mobile Arena de Las Vegas, estado de Nevada (EUA).

Algieri construiu carreira de 20 triunfos invictos como dono de cetro no kickboxing antes de adotar definitivamente o boxe em 2008. Ele encarou, entre outros, rivais do porte de Manny Pacquiao, Amir Khan, Errol Spence e Ruslan Provodnikov. Ao olhar para o confronto deste sábado, Algieri avalia que McGregor não tem nenhuma maneira de fazer a transição completa do MMA para o boxe em apenas sua primeira apresentação. O americano admite que precisou de 10-15 lutas para sentir-se totalmente confortável no tablado.

“Eles estarão se enfrentando nas regras do boxe. Não tenho de dúvidas de quem ganhará é o boxeador puro. Mayweather tem poder suficiente para interromper McGregor. Ele vem enfrentando campeões mundiais por mais de 20 anos. Nesse nível todos batem forte. McGregor pode eventualmente ganhar uma ou outra rodada inicial, mas com o tempo Mayweather trabalhará para cansá-lo e o dominará”, analisa Algieri (21-3-0, 8 KOs).

George Arias e Rocky Júnior

No Brasil também há exemplos de atletas que partiram do kickboxing até alcançarem sucesso no boxe profissional. O pesado George Arias (56-16-0, 42 KOs) foi campeão atuando com os pés e as mãos e precisou chegar ao 10º combate para brigar e ganhar o primeiro cetro nos ringues. O peso médio (72,5k) Rocky Júnior (15-3-0, 8 KOs) também foi sólido tricampeão brasileiro e sul-americano de kick para se converter em boxeador e somente depois de quatro temporadas e sete combates conquistou seu cinto inicial nos ringues.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *